sábado, 2 de fevereiro de 2013

Namorados para Sempre - crítica

Namorados para Sempre - crítica

Eu li na contracapa deste filme uma crítica que diz que ele é surpreendente. E é mesmo. Eu e minha esposa somos fãs de filmes de amor há muito tempo, e sempre assistimos boas histórias juntos como Ghost e P.S. Eu Te Amo. Confesso que acreditei que "Namorados para Sempre" estaria nessa mesma linha, um ótimo filme para assistir à dois numa dessas noites frias de inverno talvez tomando um bom vinho. Afinal trata-se de um filme indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro de 2011.

Mas na minha opinião o longa-metragem nos obriga a suportar cerca de 112 minutos de monotonia. Isso para não dizer coisa pior. Sim, é um filme surpreendente. Apesar de ser uma história de amor, ele também pode ser considerado um grande e entediante dramalhão. Achamos a história chata e sem emoção. Enfim, uma sucessão de enganos  após enganos. Como diria John Fante em Pergunte Ao Pó: "não vale o níquel".

Para quem quer assistir um filme de amor, vale mais à pena qualquer filme água com açúcar da Sessão da Tarde do que perder quase duas horas diante da TV vendo uma história rude sobre um casal em crise tentando reviver um amor que nunca existiu.

Embora tenha no elenco dois bons atores, Michelle Williams (indicada ao Oscar de melhor Atriz) e Ryan Gosling, o filme realmente não agrada. Com o subtítulo de "uma verdadeira história de amor" acho que está mais para uma verdadeira chatice.