sábado, 8 de dezembro de 2012

Eu sou o número quatro

Eu Sou o Número Quatro

Com mais de um ano de atraso acabei de assistir ao filme "Eu Sou o Número Quatro" (I Am Number Four), um filme sobre 9 alienígenas que vivem escondidos na Terra e que precisam fugir dos Mogadorians. Esses seres pertencem a uma raça maléfica que deseja destruir o planeta Lorien. Mas, antes disso, eles terão que matar todos os nove refugiados. Entre eles está John Smith (Alex Pettyfer), o número quatro. Ele é o mais poderoso dos alienígenas e ainda desconhece seus poderes. Vivendo numa pequena cidade chamada Paradise, em Ohio, ele tenta levar uma vida normal junto de seu protetor Henri (Timothy Olyphant).



Ali, John acaba conhecendo a bela Sarah Hart (Dianna Agron), e se apaixona por ela. A jovem, porém, tem um ex-namorado agressivo, Mark James, que não aceita o fim do relacionamento e acaba causando problemas para John.  Além de Sara, ele faz amizade com Sam (Callan McAuliffe), um jovem deslocado que sofre com o desparecimento do pai (ele acredita que ele foi abduzido por alienígenas). Na história, Sam acaba se tornando um aliado de John quando os Mogadorians acabam descobrindo o paradeiro de John depois de terem assassinado os três primeiros. Além dos amigos que fez na escola, John Smith contará com ajuda da número Seis (Teresa Palmer).


O filme "Eu Sou o Número Quatro" tem roteiro dos criadores da série Smallvile (Al Gough e Miles Millar), é produzido por Michale Bay (Transformers) e dirigido por D. J Caruso. O longa é baseado no livro de mesmo nome que, por sua vez, é uma trilogia composta pelos livros "O Poder dos Seis" e "A Ascensão dos Nove" chamada "O Legado dos Lorien" escrita por James Frey sob o pseudônimo de Pitaccus Lorie, que ainda tem outros três livros complementares chamados arquivos perdidos, e que contam detalhes da história apenas citada nos primeiro livro como a morte dos três primeiros.

Sarah

Opinião

Para quem está a fim de ver um bom filme, "Eu Sou o Número Quatro" é bem interessante. Ele consegue reunir elementos de ficção científica, romance e aventura. É como um "Crepúsculo" só que com ETs no lugar dos vampiros e lobisomens. Um de seus méritos foi o de agradar a minha esposa, que não é fã dos filmes do gênero. Até a minha filha de 8 anos gostou do filme, que pode ser definindo como uma ficção científica para adolescentes. A história é um pouco previsível e alguns pontos da trama não são explicados. A razão disso se deve ao fato de que o filme conta apenas o início da história. Quem quiser saber mais pode se aventurar a ler os livros que compõe a série ou esperar pela sequência do filme.