segunda-feira, 16 de maio de 2011

Físico Stephen Hawking diz que vida após a morte é conto de fadas

Uma das mentes mais brilhantes do mundo, o físico Stephen Hawking, também parece ser uma das mais desiludidas de todos os tempos. Numa recente entrevista a um jornal britânico, o cientista, que é autor de uma as obras mais importantes do último século (Um nova história do tempo, de 1988), disse que vida após a morte é um conto de fadas para as pessoas que tem medo do escuro.
Durante cerca de 50 anos Hawking conviveu com a perspectiva da morte. Vítima de uma doença que paralisa todo o seu corpo, o cientista acredita que o cérebro é como um computador que para de funcionar quando suas peças apresentam defeito. Simples assim. Para ele somos como máquinas. E para elas não existe céu, muito menos vida após a morte.


Além disso, Hawking disse não temer a morte. Ele apenas não quer morrer, pois sabe que tem muita coisa a fazer na vida. E, ao contrário, do que afirmou há anos já não aceita a ideia de que precisamos de um Deus. Isso é, no mínimo, contraditório para uma pessoa que vive além do seu tempo, já que os médicos acreditavam que ele morreria em pouco tempo depois de ter descoberto a sua doença.

Para mim, que também não acreditava em vida após a morte, só posso torcer para que um homem com uma inteligência privilegiada como a dele esteja enganado. Porque eu tenho medo do escuro. E não tenho vergonha de dizer isso. Somos muito frágeis para nos manter presos à nossa arrogância e acreditar que não há nada além da vida, além daquilo que nossos olhos podem ver. Afinal, não vemos ar, não enxergamos os átomos, e eles existem.